segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Bainha Aberta IV

Sobre a técnica

Essa forma de bordado tem nomes diversos pelo mundo a fora como já escrevi em outro post.
Eu pessoalmente desde criança conheço como Bainhas Abertas e caracterizam-se pela retirada de um a vários fios do tecido, seja em sentido horizontal (trama) ou vertical (urdidura).

E será sobre esses desfiados que se reconstroe a trama criando desenhos, amarrações, combinações de pontos... é quando o próprio tecido de transforma em renda. Conforme a maneira que reconstruimos essa trama o trabalho vai ganhando detalhes, uns muito elaborados, ricos em detalhes, outros simples, mas todos de forma geral são graciosos, belos e encantadores.

Podemos executá-las em pequenas barras, usá-las para formar, prender e ser a abainha de acabamento de uma toalha de mesa; podem ser o centro ou o contorno de bordas, mistura-las a outros estilos de bordados como Ponto Cruz, Hardanger, o Bordado Livre.

Bainha Aberta III

ACESSÓRIOS

Dentre os acessórios, o Bastidor é indispensável.
Bastidores são estruturas onde fixamos o tecido para que esse fique bem firme e esticado.
Logo, é importante que desde de início se aprenda a usá-lo. O uso do bastidor oferece ao bordado um acabamento, uma certa uniformidade, pois que o tecido estando bem esticado e firme, os pontos ficam também uniformes, parelhos e firmes.